Parashá

Torah

Parashá Devarim ( Palavras ) – Deuteronômio - 1:1 – 3:22

Resumo:

O quinto e último livro da Torá (Pentateuco), é conhecido em hebraico pelo nome Devarim, que significa “palavras”, porque começa com “Ele Hadevarim” (estas são as palavras). A septuaginta o chamou “Deuteronômio”, “segunda lei” ou “repetição desta lei”.

Do ponto de vista legal, moral e religioso, o Deuteronômio é considerado por muitos teólogos como o livro mais importante de todo o Pentateuco. Por seu profundo sentido humano, pode comparar-se com a melhor produção profética.

Em toda a Parashá, temos Moisés falando a todo o povo, e fazendo um breve, mas conciso resumo de tudo o que se sucedeu, desde que saíram do Egito.

Ao falar com o Povo, Moisés não mencionou, ou mesmo fez qualquer alusão aos seus pecados. Ao contrário, a fim de manter a dignidade do povo, ele meramente citou os lugares onde eles pecaram.

Diferente dos outros 4 livros da Torá, em Deuteronômio, Moisés tem uma “contribuição” muito maior sobre o seu conteúdo, resumindo, uma grande “interface” e interação da mente humana na produção do 5° livro da Torá, mas por outro lado, as palavras deste livro foram escritas de uma maneira que facilitaria sua compreensão por outras mentes humanas.

O livro de Devarim foi dito a uma geração que estava prestes a entrar na Terra de Israel, onde comida não seria fornecida miraculosamente, e uma extensiva interação com a vida mundana seria necessária. Como uma preparação para isto, o povo judeu recebeu o livro de Devarim, que contém a sabedoria Divina trazida “mais baixo para a terra” por Moisés.

Como uma obra de inspiração Divina feita pela mente humana, o Livro de Devarim estabelece o precedente para trabalhos proféticos posteriores. Ele também é uma forma precursora para a lei rabínica, que embora concebida pela mente humana, permanece como uma expressão da vontade de D’us.

No capitulo 1 “Estas são as palavras que falou Moisés a todo o Israel” – O Midrash (Ialcut 788) pergunta: “Somente estas palavras são as que Moisés falou a Israel?”, desde o Êxodo até aqui, Moisés falou continuadamente!. Estas palavras, então, explica o Midrash, são palavras de admoestação e repreensão. Antes de morrer, Moisés lembrou uma vez mais aos israelitas, erros e faltas do passado para impedi-los de repetirem os mesmos. As palavras de Moisés se sucedem com simplicidade e magnitude, singeleza e magnificência, beleza e amor, mas em todas se nota a severa expressão de um pai que admoesta seus fihos.

Como curiosidade nesta Parashá, em seu Capitulo 3, temos citações diversas sobre Og, rei de Bashán, que tinha sido o que havia restado dos Refaim ( Gigantes, em 3:11 ).

No Talmud e nos Midrashim existem muitas lendas a respeito da exagerada longevidade e estatura de Og. Diz-se que ele foi contemporâneo de Noé e que as águas do dilúvio molharam seu tornozelo (Nidá 61). Como queria casar-se com Sara, esposa de Abrãao, anunciou a ele a captura de seu sobrinho Ló pelos reis Amrafel, Arioch e outros (Genesis 14:12), pensando que, tentando salvar a Ló, Abrãao teria a mesma sorte que ele (Berishit Rabá 42,12). Também segundo a lenda, Moisés matou nesta guerra o gigante Og com um machado, saltando de uma altura de dez côvados.

Rashi, o principal comentarista do Talmud, disse que o versículo 11 que fala de Og, que os cúbitos mencionados se referem ao rei gigante. No entanto, geralmente a cama de uma pessoa é maior que a sua estatura, e se a cama de Og media 9 cúbitos, calculamos sua estatura em uns 8 cúbitos ( quase 4 metros ).

Segue abaixo os principais temas para consulta sobre esta Parashá;

• Deuteronômio 1:1 até 1:8 – a reprimenda sútil de Moisés ao povo judeu;
• Deuteronômio 1:9 até 1:18 – a repreensão referente a escolha dos juízes;
• Deuteronômio 1:19 até 1:46 – a repreensão pelo incidente com os espiões;
• Deuteronômio 2:1 até 2:7 – atravessando a terra de Edom;
• Deuteronômio 2:8 até 2:12 – atravessando a terra de Moav;
• Deuteronômio 2:13 até 2:15 – o fim da geração que saiu do Egito;
• Deuteronômio 2:16 até 2:23 – atravessando a terra de Amon;
• Deuteronômio 2:24 até 2:37 – a guerra contra Sichon, Rei de Cheshbon;
• Deuteronômio 3:1 até 3:11 – a guerra contra Og, Rei de Bashan;
• Deuteronômio 3:12 até 3:17 – as terras de Reuven, Gad e metade da tribo de Menashe;
• Deuteronômio 3:18 até 3:22 ( fim da Parashá ) – Instruções para a batalha com Canaã;

A HAFTARÁ de Devarim é : Isaias – 1:1 -27.