Parashá

Torah

Parashá Haazinu –– Deuteronômio - 32:1 – 32:52

Resumo:

A Parashá Haazinu começa com as palavras “ouçam”, ó céus, pois eu falarei ! Que a terra escute as palavras de minha boca” .

O Midrash explica que Moisés estava “perto dos céus” por isso ele disse “ouçam” – um termo que sugere uma proximidade entre quem fala e quem ouve. Mas como ele estava “distante da terra”, ele falou para escutar – de longe.

Um princípio fundamental do judaísmo, é que todo o judeu tem uma faísca de Moisés dentro de sua alma, que lhe possibilita atingir, ainda que em pequena proporção, a grandeza espiritual de Moisés.

Assim, é praticamente relevante a todos nós, de algum modo, entender que os assuntos espirituais são mais importantes que as coisas físicas – para estar “perto dos céus e distante da terra”.

A primeira vista entretanto , isto parece um tanto absurdo. Como é possível para uma pessoa comum, que vive uma existência corpórea, normal, se sentir “perto dos céus e distante da terra” ?

Além disso, nós não aprendemos que o propósito fundamental da criação se encontra aqui, na terra, ao fazermos uma “morada para D’us aqui em baixo” ? Qual seria então a prerrogativa para a pessoa – o que ela ganha no final das contas, ao se sentir “distante da terra” ?

Existe uma grande diferença entre adquirir um novo talento e revelar um já existente. Adquirir um talento envolve aprender totalmente novas habilidades, que são desconhecidas aos traços de personalidade que já existem na pessoa. E mesmo depois de ela dominar totalmente a habilidade, esta sempre permanecerá como um traço adquirido.

Por outro lado, se a pessoa possui um talento intrínseco em uma determinada área desde o seu nascimento, quando ela descobre este talento, será então:

a-) muito mais fácil aprimorar este do que adquirir um novo ;

b-) depois que ela aperfeiçoar esta “nova” habilidade, ela será uma manifestação de “quem ela realmente é”, e não algo em que ela tentou se tornar.

A alma judia é “literalmente uma parte de D’us Acima” ( Tanya Capitulo 2 ). Assim para um judeu, os sentimentos de estar perto dos céus, não é algo que precisa ser adquirido, mas simplesmente descoberto.

Assim de alguma forma, é relativamente fácil e natural para nós nos sentirmos “perto dos céus e distante da terra” , porque nossas almas “que sustentam nossas próprias vidas”, estão realmente “distante da terra”.

Mas, no entanto, depois de nascer em um corpo, nós ficamos firmemente enraizados neste mundo também, o que nos permite trazer nossa afinidade natural com “os céus” aqui para a terra, fazendo então “uma morada para D’us aqui em baixo”.

A Canção de Haazinu

O Maharal de Praga e o Maguid de Mezrich enfatizaram a importância de recitar a Canção de Haazinu e sabe-la de cor, pois isso purifica a mente e o coração, e traz longevidade e sucesso nos negócios. Rabi Yossef Yitschac de Lubavitch acrescentou: “ se os homens de negócio entendessem os benefícios que ela traz de fato, eles seriam mais cuidadosos em fazer isso.

Esta relevância geral da Canção de Haazinu ser enfatizada mais ainda se dá pelo fato de:

• A canção de Haazinu era entoada pelos levitas durante o ano inteiro no Templo Sagrado, quando a oferenda adicional de Shabat era trazida;
• A mitsvá de escrever um rolo da Torá completo derivar de um versículo “escrevam para você esta canção”, o que, com efeito, se trata de uma alusão ao fato de a Canção de Haazinu estar conectada com a Torá inteira;
• Haazinu ser a última Parashá da Torá que é lida no Shabat ( já que a Parashá Vezot Haberachá é lida em Sinchat Torá, que nunca acontece em Shabat ). Assim Haazinu é, efetivamente, a “conclusão” do ciclo de leitura da Torá em Shabat, o que realça sua conexão com a Torá inteira;
• No nível literal, a Canção ter sido entoada com a intenção de que “vocês ordenarão aos seus filhos serem cuidadosos em observar todas as palavras desta Torá”.

Segue abaixo os principais tópicos desta Parashá para servir de referência aos principais assuntos tratados aqui:

• 32:1 até 32:44 – A Canção de Haazinu;
• 32:45 até 32:47 – As palavras finais de Moisés;
• 32:48 até 32:52 – Moisés é ordenado a subir no Monte Nevo;

A HAFTARÁ DE HAAZINU ESTA EM : 2° Samuel 22:1-51