Parashá

Torah

Parashá Yitró( Sogro de Moshé ) – Êxodo 18:1 - 20:23

Resumo:

Yitró era um adorador de ídolos. Na realidade, ele chegou a adorar todos os ídolos existentes em sua época.

Como a parashá na qual a Torá foi dada recebeu o nome de um adorador de ídolos ?

Os adoradores de ídolos não eram bobos, como pode parecer a primeira vista. Pelo contrário, eles eram intelectuais que passaram suas vidas ponderando sobre as esferas mais altas da existência.

Assim, quando Yitró, sacerdote de Midian, abandonou a idolatria e veio ao deserto, ele fez uma decisão bem pensada. E quando ele disse : “ Agora eu sei que D’us é maior que todas as outras deidades “ (18:11), ele estava credenciando a Torá com a honra de um individuo estimado que testemunhou que a Torá é a maior sabedoria de todas. Deste modo, ele “abriu mão” da adoração de ídolos pela Torá.

A Chassidut ensina que há uma implicação sutil de “adoração de ídolos” em qualquer mitsvá que é feita por um motivo oculto. O adorador de ídolos olha para uma força diferente de D’us e uma mitsvá executada sem as intenções corretas também é um ato que é determinado por outro motivo que não a vontade de D’us.

Obviamente, a comparação é extremamente remota. Até mesmo uma mitsvá é executada pelas razões erradas, ou sem querer, ainda assim é uma boa ação.

Mas o fato continua sendo que um motivo oculto dá a uma mitsvá um “cheiro” de idolatria.v Será que uma pessoa deveria deixar de fazer mitsvot se seus motivos não são puros ?

Não ! De forma alguma ! Uma pessoa sempre deve continuar observando as mitsvot, até mesmo se seus motivos não são completamente puros, porque eventualmente ele as fará pelas razões certas.

Então, ele se tornará como Yitró. Porque todas as boas ações que ele executou pelas razões erradas ( em sua adoração de ídolos anterior ) serão “devolvidas” a D’us.

Reflexão : Diversidade dentro dos Dez Mandamentos

A primeira vista, os Dez Mandamentos consistem de tipos muito contrastantes de mitsvot. Os primeiros mandamentos: “ Eu sou D’us, seu Senhor” e a proibição de adorar ídolos se referente aos assuntos espirituais relacionados á unidade de D’us. Os outros mandamentos, porém, consistem em instruções tão simples como “não cometa homicídio” e “não sequestre”, que são preceitos básicos da decência humana.

D’us juntou estas duas categorias contrastantes de mandamentos nos Dez Mandamentos para indicar que a Outorga da Torá realizou uma união do que é espiritualmente “acima” com o que fisicamente “abaixo”.

Antes de Matan Torá, o espiritual e material eram dois mundos separados incapazes de se fundir. Mas quando a Torá foi dada, D’us anulou este decreto, outorgando aos judeus a habilidade de unir a “terra” com o “céu”, através da execução das mitsvot.

Os Patriarcas, que viveram antes da revelação do Sinai, cumpriram muitas mitsvot com objetivos materiais, mas eles não tinham consigo a habilidade de instilar santidade na matéria.

O principal objetivo do cumprimento das mitsvot pelos Patriarcas era causar uma revelação espiritual. A meta, porém, não era mudar o objetivo material. Por isso havia menos preocupação sobre o modo preciso com que uma mitsvá era executada.

Contudo, as mitsvot que nós executamos agora tem o poder de revelar santidade até mesmo no objeto material de forma que a substancia física adquira santidade. Assim, os detalhes precisos e as exigências exatas são necessárias para assegurar que esta meta seja alcançada.

Segue abaixo os principais tópicos desta Parashá para servir de referência aos principais assuntos tratados aqui:

• 18:1 até 18:12 – Yitró vem a Moshe no deserto;
• 18:13 até 18:27 – Yitró aconselha Moshe a escolher Juizes;
• 19:1 até 19:2 – O povo judeu acampa perto do Monte Sinai;
• 19:3 até 19:9 – D’us escolhe o povo judeu como o Seu Povo;
• 19:10 até 19:25 – Preparações para a Outorga da Torá ;
• 20:1 até 20:18 – Os Dez Mandamentos;
• 20:19 até 20:23 – Mais mitsvot são dadas;

A HAFTARÁ DE YITRÓ ESTA EM : YESHAIÁHU ( ISAÍAS )- 6:1-13